Ficha técnica

Batman Príncipe Encantado vol. 1 - De Segunda
Capa de: Enrico Marini

Batman: o príncipe encantado das trevas vol. 1
Autor: Enrico Marini
Preço: R$25,00
Editora: DC Comics / Ed. Panini
Publicação: Junho/2018
Número de páginas: 84
Formato: Álbum de luxo (21,5 x 33 cm). Colorido / Capa Dura.
Gênero: Super-heróis

Sinopse:
Com o sequestro de uma garotinha, com misteriosas ligações com Bruce Wayne,  Batman vai ao encalço do Coringa e do Crocodilo. Enquanto isso, o Coringa, e sua gangue amalucada, buscam um presente de aniversário para a Arlequina e se envolvem numa disputa com a Mulher-Gato por um colar de diamantes.

Entrada

Parceria da DC Comics com a editora francesa Dargaud, Batman: o príncipe encantado das trevas conta com o texto e a arte do quadrinista suíço, naturalizado italiano, Enrico Marini (O Escorpião, Águias de Roma).

Dividida em dois volumes, a HQ foi produzida por Marini,  à maneira clássica: lápis, papel, tinta e pincel. E este esmero foi recompensado com uma belíssima edição feita pela Panini. Com dimensões um tanto quanto maiores a que estamos acostumados (21,5 x 33), capa dura e introdução do próprio Enrico Marini.

Mesmo sendo um terror para a estante de um colecionador, acredito que o formato para caiu como uma luva para o projeto do quadrinista italiano, que merecia um acabamento mais apurado. E ponto positivo para editora na presteza em publicar o material por aqui.

Batman: o príncipe encantado das trevas – Prato Principal

Batman: o príncipe encantado das trevas nos traz uma aventura policial, um clássico noir com todos os seus elementos revisitados em tons de verde, azul, laranja e roxo.

E como em muitas histórias noir, onde a cidade exerce uma forte influência na composição do clima, Gotham se comporta como uma excelente personagem coadjuvante. Forte e vibrante, vemos a cidade natal do Batman colorida e iluminada como nunca antes, mas sem perder aqueles detalhes sombrios que tornam a arquitetura da cidade tão marcante. Arquitetura esta que podemos ver em mais detalhes numa sequência de perseguição intensa, sonora e cheia de reviravoltas, logo após um tenso preâmbulo. Nesta sequência, Marini também nos brinda uma belíssima página dupla de cair o queixo.

Batman Príncipe Encantado vol. 1
Arte de: Enrico Marini

Em Batman: o príncipe encantado das trevas vol. 1, o ponto forte da trama é a arte de Marini. Com cenas deslumbrantes e com total domínio no uso de cores quentes e frias, que realizam belos contrastes em diferentes pontos da HQ, o quadrinista italiano nos guia pelas ruas de Gotham enquanto acompanhamos o Batman em sua caça ao Coringa.

E não é só a cidade que ganha novos contornos nas mãos do quadrinista italiano. Todos os personagens são revisitados e ganham características mais urbanas, mas não menos fantásticas.

Batman: o príncipe encantado das trevas – Personagens

Batman Príncipe Encantado vol. 1 - De Segunda
Arte de: Enrico Marini

O Coringa possui traços mais circenses, reforçando assim sua ligação com os palhaços. Isto acaba nos remetendo a sua antiga alcunha: O príncipe palhaço do crime. O que acaba por fazer um interessante contraponto com o título da HQ. Se essa foi ou não a intenção de Marini, já não posso afirmar.

Além disso, em sua interpretação, o Coringa esta mais lúcido, porém não menos sanguinário e psicótico. Suas ações durante a HQ e, principalmente na festa de aniversário da Arlequina, demonstram isso muito bem.

Na festa, podemos observar mais da estética e da psique dos integrantes da gangue do Coringa e destes destaco o personagem Archie que em três quadros rouba a cena e que fica impossível não se lembrar do andróide Marvin. Durante a festa também temos um primeiro vislumbre como Marini irá retratar a conturbada relação do Coringa com a Arlequina.

Batman Enrico Marini - De Segunda
Arte de: Enrico Marini

Já o Batman, possui uma armadura que nos remete às da trilogia do diretor britânico Christopher Nolan. Esta semelhança também é encontrada no Batmóvel, que aqui adquire traços mais robustos e militares, e nos apetrechos utilizados pelo nosso super-herói.

Ainda falando sobre os personagens, o Crocodilo e sua gangue são um capítulo à parte na história. Como nos informa Sergio Codespoti, em sua resenha para o site Universo HQ, o visual do vilão e de sua trupe são inspirados no visual das fotos de Jono Rotman que acompanhou por quase uma década a gangue Mighty Mongrel Mob, da Nova Zelândia. O resultado é simplesmente brilhante.

Este preciosismo ajude a compor a atmosfera e dar maior verossimilhança ao enredo policial que Marini se propõe a narrar. Some aos seus traços a sua paleta de cores o que temos é uma Gotham esplendorosa, suja e vibrante.

Batman: o príncipe encantado das trevas – destaques da trama

Toda esta preocupação com a parte gráfica, acaba não se refletindo na trama em si. Batman: o príncipe encantado das trevas parte de uma premissa batida do gênero noir. A saber: o herói solitário é confrontado por um erro do passado. Este ao ser negligenciado desencadeia uma série de perigos aos seus.

Após nove anos, Mariah Shelley, uma figura do passado de Bruce, ressurge exigindo que o então milionário reconheça a paternidade de Alina. O que é veemente negado por ele. Mas este escândalo chama à atenção do arqui-inimigo do Cruzado Encapuzado e o que vem daí já é entregar muito da história.

Mas se o enredo simples, não é necessariamente simplório. Mesmo partindo de um clichê, a trama de Marini entrega bons elementos e decisões acertadas para o desenvolvimento da história.

Bruce Wayne e sua perda

Uma destas decisões é a de levar a história para um nível mais pessoal. Aqui é Bruce Wayne que pode ser pai e não o Batman – faceta já explorada nas HQs regulares do personagem através da figura de Damian Wayne, filho do Batman com Talia al Ghul.

Batman Enrico Marini - De Segunda
Arte de: Enrico Marini

Muitos podem dizer: “Mas pera, os dois não são o mesmo?” e a resposta que tenho é que essa questão é um tanto quanto complicada e ultrapassa os limites da minha proposta aqui. Dito isto, vamos analisar o porquê da decisão de Marini ser tão acertada.

Bruce Wayne é alguém profundamente marcado pela perda dos pais. Um órfão que teve que aprender a lidar com o imenso vazio que se abriu após aquela noite no beco. Esta ausência é tão insuportável que mesmo crescido e se tornando o super-herói que é, Bruce ainda busca pela aprovação de seus pais e pela redenção de ter sobrevivido aquela noite.

Consequentemente, sou um dos defensores desta cena aqui do filme Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

É por conta desses fatores que a notícia da possibilidade de ser pai mexe tanto com Bruce. E é isto que torna este embate entre o Batman e o Coringa diferente dos demais confrontos. Salvar Alina é algo imprescindível para Bruce e ele estará disposto a arriscar tudo para isso.

Fecha a conta

Apesar de sua premissa, o primeiro volume de Batman: o príncipe encantado das trevas é uma boa história. Marini entrega uma exemplar trama noir para o Cavaleiro das Trevas e um drama familiar para Bruce Wayne. E apesar de não ser algo espetacular, convence e entretêm na medida certa.

Nota: 4 de 5

Compartilhe

Autor: Thiago de Oliveira

Há mais de duas décadas lendo e colecionando quadrinhos. Tem mais da metade do que gostaria e menos do dobro do que queria ter. Não dispensa um pão de queijo, um café e uma cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *