Ficha Técnica

Batman: Metal Especial 1 capa - De Segunda
Capa de: Stjepan Sejic

Batman: Metal Especial 1
Autores: Benjamin Percy (roteiro), Mirka Andolfo (arte) e Romulo Fajardo Jr. (cores). / Tim Seeley (roteiro), Paul Pelletier (arte), Andrew “Drew” Hennessy (arte-finalista) e Adriano Honorato Lucas – ‘Adr’ (cores). / Rob Williams (roteiro) e Stjepan Sejic (arte e cores). / Joshua Williamson, Benjamin Percy (roteiro) e Juan Ferreyra (cores e arte)
Preço:R$ 17,90
Editora: DC Comics / Panini
Publicação: Agosto/2018
Número de páginas: 100
Formato: Americano (17 x 26 cm) Colorido/Lombada quadrada. Capa cartonada.
Gênero: Super-heróis

Sinopse: Após o surgimento da Montanhas dos Desafiadores no meio de Gotham enormes muralhas passaram a isolar a cidade do restante do mundo. Robin acredita que seu pai está no meio de toda essa loucura, mas para resgatá-lo ele irá contar com a ajuda dos os Jovens Titãs e de algumas outras figuras mais inesperadas.

Entrada

Histórias em quadrinhos são uma forma de arte, mas não podemos esquecer que ela também é uma forma de entretenimento e se em Noites de Trevas: Metal 1 tivemos uma trama mais sisuda e recheada de simbolismos e referências, Batman: Metal especial 1 entrega aquela galhofa digna de se tirar o chápeu. Uma sessão de RPG transformada em quadrinhos com direito a piadas sobre dano crítico e outras sacadas que botam um sorriso em qualquer jogador de D&D, Gurps, Storyteller ou qualquer outro sistema por aí.

Com o subtítulo A Resistência de Gotham, este primeiro volume reúne as HQs:

  • Teen Titans (2016) n° 12;
  • Nightwing (2016) n° 29;
  • Suicide Squad (2016) n° 26;
  • Green Arrow (2016) n° 32.
A resistência de Gotham - Batman: Metal Especial 1
Arte de: Stjepan Sejic

Temporalmente, este especial se passa entre os volumes 2 e 3 da saga principal Noite de Trevas: Metal. E em como toda aventura de RPG, temos um grupo não convencional de aventureiros reunidos para cumprir um objetivo: ajudar um irritadiço Damien Wayne, o atual Robin, a encontrar seu pai – o Batman. E acompanhando o garoto prodígio em sua jornada: Asa Noturna, Arlequina, Arqueiro Verde e Crocodilo.

E Gotham foi transformada por alguns dos maiores vilões do Batman em uma verdadeira dungeon. Cheia de armadilhas e perigos para todos aqueles que ousarem adentrar suas mulheres. Munidos de estranhas cartas de Tarot, Charada, Senhor Frio, Hera Venenosa e Bane remodelaram a cidade a sua imagem e semelhança. Algo como os círculos infernais da Divina Comédia de Dante Alighieri, obra referenciada pelo próprio Asa Noturna.

Batman: Metal Especial 1 – uma jornada de autoconhecimento

Ler este especial me fez lembrar de um outro grupo de heróis e sua jornada narrada por J.R.R. Tolkien em O Senhor dos Anéis.  A forma como Damien vai se tornando consciente de seu papel e do peso do que é ser um líder, funciona como um eco distante do que acontece com Aragorn. E assim como lá, aqui também temos uma história redondinha sobre companheirismo, sacrifícios em prol de um bem maior, responsabilidade e crescimento, mas tudo de forma bem mais despretensiosa.

Mas mesmo aqui, o que envolve os personagens é a aura do medo. O medo de ver o seu lar destruído, de falhar com um amigo, de não estar a altura da missão que lhe foi confiada, de perder quem se ama. Consequentemente são estes temores os verdadeiros vilões da trama. E todos eles estão cristalizados na figura do Robin que Ri.

O Robin que Ri – o vilão de Batman: Metal Especial 1

Robin que RI - Batman: Metal Especial 1
Arte de: Mirka Andolfo

Funcionando como um subchefe de um dungeon, o Robin que Ri comanda a turba de Robins psicóticos. Sua missão é caçar todos os heróis aqueles que adentram os círculos infernais de Gotham e cabe a ele algumas das cenas mais tensas da HQ.

Reforçando a ideia de que esta trama é focada em Damien e na sua relação com o seu pai, a opção de colocar o Robin que Ri como o principal nêmesis da equipe é algo mais que natural. Pois, é disso que se trata a saga arquitetada pelo quadrinista Scott Snyder: ser confrontado pelos seus maiores medos. O problema é que eles estão exteriorizados em um doppelganger lúgubre e vil.

Conclusão

Como especial, este primeiro volume cumpre a que veio. Mesmo não acrescentando muitos detalhes, a HQ é um lembrete de que grandes sagas também podem serem divertidas. Sem contar ver a relação de Damien

Nota: 3 de 5

Compartilhe

Autor: Thiago de Oliveira

Há mais de duas décadas lendo e colecionando quadrinhos. Tem mais da metade do que gostaria e menos do dobro do que queria ter. Não dispensa um pão de queijo, um café e uma cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *