Ficha Técnica

Batman A Maldição Do Cavaleiro Branco - 04 capa | De Segunda Blog
Capa de: Sean Murphy

Batman: A Maldição do Cavaleiro Branco 4
Autores: Sean Murphy (roteiro e arte),  Matthew ‘Matt’ Hollingsworth (cores)
Preço:R$ 9,90
Editora: Panini / DC (Black Label)
Publicação: Maio / 2020
Número de páginas: 32
Tradução: Mateus Ornellas
Formato: Americano (17 cm. x 26 cm.) Colorido / Lombada com grampos Quadrada / Capa cartão
Gênero: Super-heróis
Sinopse: Uma grande tragédia se abateu sob a batfamília e neste vazio Montoya assume o comando da DPGC, enquanto que a Batgirl sai em caçada a Azrael. Em meio a isso tudo, uma assombrosa história de Alfred vem a tona.

***

Introdução

Após nos deixar atônitos com o final do terceiro capítulo, Batman: A Maldição do Cavaleiro Branco 4 é talvez o capítulo mais comovente da minissérie até então. E já quero deixar o aviso falar sobre esta HQ sem entregar alguns spoilers é impossível, pois eles são os motores das ações dos personagens aqui, então siga por sua conta e risco. 

Como previsto, o pior dos cenários possíveis se concretizou e para todos aqueles que estavam receosos, as notícias não são nada boas. Apunhalado por Azrael e derrubado de um prédio, o prognóstico não poderia ser diferente e é real: Jim Gordon está morto. E Murphy sabe exatamente como deixar este evento traumático tanto para os leitores quanto para a batfamília. Seja começando a HQ com um flashback de Gordon se despedindo de Bárbara ou com um abraço de adeus do Batman ao seu velho amigo. 

Tudo na HQ gira em torno das diferentes formas de se lidar com o luto dessa terrível perda em meio aos ataques de Azrael a Gotham City. Montoya, agora no posto de comissária, precisa reagrupar suas forças para contra-atacar; Batman busca refúgio em um de seus esconderijos para lidar com a morte de seu amigo e prosseguir nas investigações; Asa Noturna busca manter a batfamília unida. Entretanto este quarto capítulo é uma história da Batgirl, uma poderosa e intensa história como não poderia deixar de ser. 

A Batgirl

Durante todo universo criado por Murphy, a Batgirl se mostrou como uma personagem imponente, grandiosa, leal a seus ideais e a verdadeira âncora moral da batfamília quando tudo o mais estava desmoronando para Bruce em Batman: O Cavaleiro Branco.

Todo o seu sofrimento a tornam um ser implacável e em rota de colisão com Bruce, mas principalmente com Dick que busca consolá-la e com quem trava intensos debates acerca em diferentes momentos da HQ.

Nestes diálogos com Dick percebemos o quão desestabilizada Bárbara está, pois o que ela busca não é justiça pela vida de seu pai, mas vingança. O que acaba sendo um eco, distorcido, de um dos ensinamentos de seu pai. Mas isso não significa que suas habilidades investigativas estejam embasbacadas e ela acaba por encontrar Azrael. E é Bullock quem estará ao seu lado para concretizar o seu nefasto plano de matar o anjo da morte. 

Arte de: Sean Murphy

Ambos partem para localizar e eliminar Azrael e seus comparsas e em um sangrento e encarniçado confronto, Murphy revisita um dos momentos da mitologia da personagem. 

Um sombrio interlúdio

Mesmo ocupando a maior parte das páginas de Batman: A Maldição do Cavaleiro Branco 4, a morte de Jim Gordon divide espaço com uma pequena, mas não menos importante história de Alfred e Leslie Thompkins acerca sobre como conseguiram o antigo diário de Edmond Wayne.

Quem relata esta passagem é a própria Thompkins, que está tomando conta da Arlequina e seus gêmeos, e nela descobrimos que foi a própria Ordem de São Dumas que recuperou o diário das mãos do Coringa. 

Apesar de breve, este trecho da HQ, revela que há dissidentes na Ordem e nos brinda com uma bela imagem de Alfred empunhando uma espada, bem ala Zorro, e de quebra introduz Jason Blood ao Murphyverse. 

Arte de: Sean Murphy

Para quem não ligou o nome ao personagem, Blood é o humano ao qual o demônio Etrigan está vinculado. Etrigan, por sua vez,  residia inicialmente em Gotham o que levou a várias histórias em conjunto com o Cavaleiro das Trevas. E esperamos que sua participação seja prolongada na minissérie.

O quarto capítulo da minissérie é, como dissemos anteriormente, o mais emocional e conta com diálogos afiados, uma arte que continua um desbunde e cores que continuam a criar auras impressionantes em torno dos personagens. Então que venha o capítulo 5.

Nota: 4 de 5

Compartilhe

Autor: Thiago de Oliveira

Há mais de duas décadas lendo e colecionando quadrinhos. Tem mais da metade do que gostaria e menos do dobro do que queria ter. Não dispensa um pão de queijo, um café e uma cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *